Extremadura com a maior quebra no desemprego desde 1996

A Extremadura fechou agosto com a maior queda do desemprego, nesse mês, desde 1996. De julho para agosto, caiu em 3.441 pessoas, para um total de 92.061 desempregados, segundo dados divulgados pelo Ministério do Trabalho e Economia Social de Espanha.

O desemprego, naquela região do país vizinho, desceu em agosto, de forma mais acentuada, nos serviços, com menos 2.050 desempregados, seguindo-se a agricultura, com menos 546, e a indústria, com menos 147. Juntam-se a estes dados, as 699 pessoas que não tinham emprego anterior.

Os homens, no desemprego, no final do mês passado, na Extremadura, eram 34.072, enquanto as mulheres eram 57.989. Da totalidade das pessoas sem trabalho (92.061), 7.884 têm menos de 25 anos.

Ao nível das contratações, em agosto, na região, foram celebrados 53.069 contratos: 51.450 temporários e 1.619 permanentes.