Quase quatro mil pessoas participaram na última edição dos Jogos do Alto Alentejo

Cerca de quatro meses depois de ter tido início a 22ª edição dos Jogos do Alto Alentejo (JAA), promovida pela Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo (CIMAA), o Jardim da Avenida da Liberdade, em Portalegre, foi o palco da cerimónia de encerramento desta iniciativa, que se destaca no panorama desportivo e cultural da região, que ano após ano, honra também a sua tradição inclusiva através dos JAA – Adaptados.

No total, os JAA contaram com 3900 participantes, que se dividiram entre a prática de 30 modalidades, disputadas nos concelhos do Alto Alentejo, da canoagem à sueca e das caminhadas ao futsal, entre tantas outras. Este domingo, 23 de junho, ficou marcado pela finalíssima de futsal disputada entre as equipas de Castelo de Vide e Fronteira, com a vitória a sorrir aos fronteirenses (6-3), um jogo que marcou o início da Cerimónia de Encerramento.

No seu discurso, o presidente do Conselho Intermunicipal da CIMAA, Hugo Hilário, relembrou a importância dos JAA para a região, destacando a vertente de “confraternização e companheirismo” que se origina entre todos. “Apesar dos tempos complicados que temos vivido, com a pandemia, com guerras, com crises económicas e políticas, esta iniciativa é um exemplo claro daquilo que conseguimos alcançar quando estamos unidos. As melhorias que têm sido registadas ao longo dos anos ao nível do número de participantes e das modalidades, são um sinal de que estamos comprometidos em fazer sempre mais e melhor. Por isso, deixo aqui um repto: que se continue a olhar para os JAA como um evento de charneira do Alto Alentejo”, disse.

A presidente da Câmara Municipal de Portalegre e anfitriã desta cerimónia, Fermelinda Carvalho, tal como o presidente da Assembleia Intermunicipal da CIMAA, Albano Silva, destacaram a importância da “aposta no desporto e na cultura” no nosso território, um serviço público que os Jogos do Alto Alentejo prestam à população.

A cerimónia de encerramento contou com a presença de autarcas, técnicos de desporto dos Municípios e da CIMAA e, claro, dos participantes que ao longo de semanas deram vida aos Jogos. Como sempre, a componente cultural não foi esquecida, com visitas aos espaços museológicos de Portalegre.