Desenvolvimento sustentável do Alto Alentejo em debate na BioBIP

A BioBIP, a incubadora de empresas do Politécnico de Portalegre, acolheu na passada quinta-feira, 20 de junho, uma iniciativa promovida pela Plataforma ODSLocal, sob a coordenação dos professores João Ferrão e Luísa Schmidt, com o objetivo de perspetivar o futuro do Alto Alentejo, tendo como indicador de boas práticas os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, mais concretamente nas áreas do desenvolvimento económico, da coesão social e da sustentabilidade ambiental.

Os painéis contaram com a presença de ilustres oradores nas mesas temáticas, que afirmaram a importância de pensar o futuro da nossa região de forma “forte e agregada”, ou seja, partindo sempre de uma lógica de que o que é benéfico a nível local, é igualmente relevante a nível regional. É fundamental continuar a fomentar a cooperação e a concertação interinstitucional para que seja possível, cada vez mais, aproximar a realidade do território Alto Alentejo ao seu potencial, que é enorme e em inúmeros setores.

Hugo Hilário, presidente do Conselho Intermunicipal da Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo (CIMAA), considerou este dia de trabalho “muito proveitoso” e sublinhou a importância de aplicar os ODSLocal no dia a dia desta comunidade e dos municípios. “Os constrangimentos e as oportunidades que surgem da nossa missão, enquanto eleitos, de definir a melhor estratégia de desenvolvimento para o território, de criar melhores condições de vida para a população, estão plenamente identificados nos 17 objetivos do desenvolvimento sustentável. Neste sentido, destaco que fomos uma das primeiras CIM a aplicar esta metodologia de trabalho de forma concertada entre os 15 municípios, que pretende colmatar uma lacuna que existia na dimensão autárquica: registar, monitorizar e avaliar a eficácia das medidas e das políticas implementadas”, concluiu.

A sessão contou ainda com a participação dos municípios do Alto Alentejo, bem como várias entidades locais e stakeholders.