Montenegro quer criar lei de finanças para o setor social

O primeiro-ministro, Luís Montenegro,  inaugurou na tarde de sexta-feria, a segunda fase da unidade de cuidados continuados, em São Tiago de Urra, no concelho de Portalegre, num investimento de 11,5 milhões de euros.

Durante o seu discurso, Montenegro anunciou que o Governo espera criar uma lei de finanças para o setor social que estabeleça regras de comparticipação, para facilitar todo o setor e os projetos que são desenvolvidos pelas instituições sociais.

“Sempre defendi e aproveitarei o facto de ser primeiro-ministro, e de ter ao meu lado a senhora ministra do Trabalho e da Segurança Social, aquilo que é o desígnio deste Governo, que é aprovar, quando tivermos essa possibilidade, uma lei de finanças do setor social, uma lei que defina as regras de comparticipação para sempre, com critérios pré-definidos com atualizações pré-definidas para que as instituições tenha regras transparentes”.

De acordo com o padre Marcelino Dias Marques, presidente da direção do Centro Social Paroquial, esta é uma obra que está agora “ao serviço da comunidade, para se cuidar dos pobres, dos mais frágeis, dos mais vulneráveis, que é um dever de todos, para tornarmos o mundo mais atraente e menos desigual”.

O Centro Social e Paroquial de São Tiago de Urra tem presentemente uma residência de idosos, centro de dia e agora uma unidade de longa duração de convalescença, para um máximo de 130 utentes, havendo ainda três dezenas de idosos acompanhados em apoio ao domiciliário, cozinhando 160  refeições. A freguesia é a única rural do concelho de Portalegre que mantém duas escolas.

O Centro Social Paroquial emprega mais de 150 pessoas, sendo um dos maiores empregadores do concelho.