PSP abateu a tiro javali no Revoltilho

A Polícia de Segurança Pública (PSP) de Elvas abateu ontem, 20 de junho, ao início da noite, a tiro, um javali que, desde a semana passada, se encontrava à solta e que foi avistado, por diversas vezes, na Urbanização do Revoltilho.

O javali, que ontem voltou ao bairro, foi afastado das habitações para o olival contíguo, tendo sido abatido com um disparo, por parte da PSP. Contactado pela Rádio ELVAS, e apesar do “alarme social causado”, uma vez que se trata de um animal selvagem, o comissário João Paulo Marmelo, a assumir a função de comandante, em substituição do comissário Rui Massaneiro, que se encontra ausente, revela que a intenção da PSP nunca foi abatê-lo.

Num momento em que os agentes procuravam dominar o animal, este preparava-se para atacar um deles, relata o comissário. Seguindo os procedimentos previstos neste tipo de situações, houve necessidade de disparar e de abater o javali.

A Rádio ELVAS procurou ainda um comentário do presidente da Câmara Municipal de Elvas, Rondão Almeida, sobre a situação, que não quis prestar qualquer declaração, assegurando tratar-se de um assunto que só às forças de segurança diz respeito.

Conforme tínhamos dado conta na semana passada (ver aqui), havia vários relatos da presença do animal, em vídeo e fotografia, por parte de residentes no bairro. Apesar de ser um animal selvagem e causar algum receio, não há registo de nenhum ataque ou prejuízo causado pelo javali, que sobretudo procurava comida junto das habitações.

Alguns residentes do Bairro do Revoltilho, ainda que desconhecendo a razão do abate, solicitavam que o animal fosse recolhido e devolvido à liberdade longe da cidade.

No local, para além da PSP, com vários agentes, esteve o veterinário municipal, Nuno Caldeira Fernandes, que recolheu o cadáver do animal.