Contrato entre o Município de Elvas e a Aquaelvas vai ser alvo de auditoria

O “Contrato de Concessão da Exploração e Gestão dos Sistemas de Distribuição de Água para Consumo Público e de Recolha de Efluentes do Concelho de Elvas”, celebrado entre o Município de Elvas e a Aquaelvas, vai ser alvo de uma auditoria. A proposta para realização desta auditoria foi assinada pelos seis eleitos presentes na reunião de câmara realizada esta quarta-feira, dia 27, no salão nobre dos paços do concelho.

No final da reunião, Rondão Almeida, presidente da Câmara Municipal de Elvas, referiu que “a autarquia vai lançar concurso para a empresa responsável por esta auditoria, que vai incidir desde o momento em que as águas foram concessionadas até ao dia de hoje, com todas as alterações que foram feitas. Vai ser exigido à empresa externa que faça a auditoria em quatro ou cinco meses para que possamos ter armas que nos possam levar à rescisão do próprio acordo”.

Por outro lado, o autarca garantiu que vai reunir com os representantes da empresa para perceber a questão “dos funcionários que passaram para a Aquaelvas, há 12 anos, e atualmente já regressaram praticamente todos à autarquia”.

Paula Calado, vereadora eleita pela coligação PSD/CDS-PP na câmara de Elvas, considerou que “esta auditoria é a única forma de conseguir argumentos, caso eles existam, para terminar com o contrato.  Eu quando prometo fazer alguma coisa faço de tudo para que isso aconteça. Tive sorte de encontrar recetividade do atual presidente para apurarmos o que se passa com a empresa e de irmos até às ultimas consequências”.

A vereadora afirmou que “quem achar que as coisas se fazem de outra maneira, é porque não tem experiência nenhuma ou então está de má-fé”.

A Câmara Municipal de Elvas vai abrir concurso para empresas externas à região e que possam realizar este serviço de auditoria.

A Rádio ELVAS tentou ainda obter uma reação a esta reunião de câmara por parte dos dois eleitos do Partido Socialista presentes (Vitória Branco e Tiago Afonso), mas os mesmos não se mostraram disponíveis para prestar declarações.