Projeto RAMSAT promove seminário online

O projeto RAMSAT, aprovado e iniciado em setembro de 2019, no âmbito do Programa INTERREG EUROPE, tem como principais objetivos a revitalização de áreas remotas e montanhosas através do Turismo Alternativo Sustentável, tratando-se de uma resposta à necessidade urgente de incentivar políticas regionais para o uso sustentável dos recursos quer ao nível do património natural e cultural quer ao nível do turismo alternativo.

Coordenado pela CIMAA – Comunidade Intermunicipal do Alto Alentejo (Portugal), conta com mais seis parceiros provenientes da Bulgária, Eslovénia, Espanha, Reino Unido e Roménia.

O projeto relaciona-se com o objetivo temático 6 do programa Interreg Europe (proteção do ambiente e promoção da eficiência dos recursos) e, através do intercâmbio de boas práticas e conhecimentos, pretende melhorar as políticas regionais e locais que visam o desenvolvimento ao nível do turismo nas áreas-alvo, de modo a garantir o uso sustentável dos recursos naturais e do património cultural e promover a sua gestão de forma eficaz. De modo a atingir esse objetivo, está prevista, no âmbito do Projeto, a dinamização de 2 Workshops Interregionais, 4 Seminários Temáticos e 36 encontros com stakeholders locais, em toda a Europa: de Pleven Heights (Bulgária) ao Parque Natural da Serra de São Mamede (Portugal), passando por Marginimea Sibiului (Roménia), Sava Hills (Eslovénia), o Sistema Ibérico (Espanha) e as Sperrin Mountains (Reino Unido-Irlanda do Norte).

Nesse âmbito, foi dinamizado no dia 27 de maio o Seminário Temático Online «Uso do Património Natural e Cultural no Turismo de Aventura», cujo anfitrião foi o parceiro da Eslovénia (Agência de Desenvolvimento Regional Zasavje). O evento contemplou uma visita de estudo virtual sob o tema do turismo de aventura na região de Zasavje, bem como a apresentação de boas práticas ao nível do referido tema nas seis regiões europeias que integram o Projeto. Destaca-se, neste âmbito, a apresentação da Boa Prática referente ao Rail Bike Marvão (que já integra a Biblioteca de Boas Práticas do Projeto, juntamente com o Projeto «Alentejo Feel Nature»), bem como a Rota do Contrabando do Café. Estas Boas Práticas estão integradas em três das fileiras/tipologias de turismo descritas em candidatura: turismo de aventura, ecoturismo e turismo cultural, respetivamente.

Para além da seleção de boas práticas (replicáveis) em cada região envolvida no Projeto, pretende-se a elaboração de análises SWOT regionais e o desenvolvimento e implementação de Planos de Ação (estes últimos, na Fase 2 do Projeto, a decorrer em 2022-2023)