Guadiana vai ter novo protocolo para regularizar captação de água no Pomarão

Portugal e Espanha elaboram um novo protocolo para regularizar a captação de água do rio Guadiana, no Pomarão.

Desde o final o início do terceiro trimestre que Barragem do Alqueva está a debitar para o troço internacional do rio Guadiana a jusante, muito mais água do que a que recebe a partir do açude de Badajoz.

A discussão sobre o sistema de captação de água que as autoridades espanholas mantêm há décadas no Pomarão, mesmo na linha de fronteira entre os dois países ibéricos e na confluência dos rios Chança e Guadiana. Os dois países ibéricos querem fazer com carácter de “imensa urgência” o levantamento da situação em Boca-Chança, para que seja tomada “uma decisão final” sobre as captações de água que são efectuadas para Huelva e que são insistentemente reivindicadas pela Junta Autónoma de Andaluzia e por organizações de agricultores da região espanhola.

Os agricultores espanhóis contrastam a abundância de água na Barragem do Alqueva com os volumes minguados na rede de barragens da região de Huelva, fortemente penalizada por sucessivos de anos de pouca chuva. A forte pluviosidade que se registou a montante, entre Janeiro e final de Março garantiu o enchimento pleno da albufeira de Alqueva.

A ministra do Ambiente e Energia (MAE), Maria da Graça Carvalho e a ministra para a Transição Ecológica e o Desafio Demográfico (MITECO), Teresa Ribera Rodríguez Portugal e Espanha estiveram em reunião bilateral em Bruxelas, a 1 de Junho, à margem do Conselho de Ministros da Energia da União Europeia, e decidiram encarregar a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) e a sua congénere espanhola Direcção-Geral da Água (DGA) de prepararem uma proposta de acordo para os rios Guadiana e Tejo que tem sido objeto de criticas quer de agricultores quer de ONG ambientais dois dois países.