Animal recolhido para canil municipal “alegadamente” foge

Na noite de sexta-feira, cerca das 23.45h, uma cadela de cor castanha e raça indefinida estava no meio da avenida de Badajoz, junto ao Hotel D.Luis, em risco de atropelamento e eventual acidente de viação com consequências graves.
Trata-se um animal perdido, mas muito dócil.

Devido a hora em questão, perto da meia noite, a cadela foi retirada do local, tendo lhe sido dado comida, água e um abrigo provisório. No Facebook, foi dado o alerta de animal perdido, para que o dono a pudesse recuperar.

Na manhã de sábado, deslocamos-nos até à esquadra da PSP, onde foi verificado que o animal não tem chip, pelo que dessa forma não foi possível identificar o dono do animal.
A PSP contactou de seguida o veterinário municipal que veio recolher a cadela, cerca das 11 horas, à Rua dos Chilões para o levar para o Canil Municipal.

Estranhamente a cadela foi novamente vista e posteriormente recolhida, de novo na cidade, antes das 13 horas. “Veio da Boa-Fe com um casal, disse nos quem a recolheu” e que perante a publicação nos ligou a informar que andava por ali. Guardou o animal até chegarmos e traze-la novamente connosco.

Foi informado o Presidente da Câmara de Elvas que um animal recolhido e deixado a guarda do veterinário municipal se encontrava de novo na rua. Por indicação do autarca, ao final da tarde de sábado, o animal foi recolhido por um funcionário municipal e levado para a box 5 do canil da Câmara de Elvas, na Abegoaria Municipal, onde esperamos que ainda se encontre.

Lamentamos que um cão, sem chip obrigatório, se encontre perdido ou abandonado; que um cão seja recolhido e entregue a guarda do veterinário municipal de Elvas e passado pouco tempo se encontre novamente na rua; que se tenha que solicitar a intervenção do presidente da Câmara para resolver uma situação, aparentemente simples.

Poupamos os leitores ao pormenores da conversa pouco agradável com senhor veterinário, mas pelo exemplo percebemos porque há tantas queixas dos munícipes de Elvas.

Finalmente fazemos votos que o animal consiga uma família, pois é a única vítima das circunstâncias.