Crianças da Escola de Santa Luzia na abertura da VII Iberoaves

Foi na presença de quatro turmas de 1º Ciclo de Santa Luzia que arrancou oficialmente, na manhã desta sexta-feira, 27 de outubro, a sétima edição da Iberoaves, promovida pela Associação Ornitológica de Elvas, no Centro de Negócios Transfronteiriço da cidade.

Os mais pequenos foram desafiados, na escola, a fazerem um trabalho alusivo à temática das aves, sendo que o vencedor, entre os alunos de cada turma, levou um animal para casa, explica o presidente da associação, João Pepê, que diz ainda ser “espetacular” ver todos estes alunos na exposição. “Isto é vocacionado também para este gente jovem, que está a ver, in loco, o que é um passarinho, como são as suas cores. É engraçado”, comenta, lembrando a importância de “sangue novo” e de futuros criadores, que evitem o desaparecimento de determinadas aves.

Com animais de “qualidade muito boa”, refere João Pepê, desta feita, para este evento, estiveram a concurso, entre Portugal e Espanha, cerca de 800 aves. Presente na abertura do evento esteve Marco Domingos, elemento da Federação Ornitológica Portuguesa, que considera que a edição deste ano da Iberoaves conta com aves “muito bonitas”, estando o certame “bem composto”.

Já o professor António Jeca, que levou os seus alunos até à Iberoaves, esta manhã, a par das restantes turmas da Escola de 1º Ciclo de Santa Luzia, explica que os trabalhos das crianças foram produzidos na escola, mas complementados em casa.

A Iberoaves decorre, no Centro de Negócios Transfronteiriço de Elvas, até domingo. A entrada é gratuita.