Dia do Fascínio das Plantas assinalado no InovPlantProtect

O Dia do Fascínio das Plantas foi assinalado, esta quinta-feira, 19 de maio, pelo laboratório Colaborativo de Elvas, InovPlantProtect, promovendo um 1º Encontro de Clubes Ciência Viva das Escolas Secundárias do distrito de Portalegre, numa colaboração com o Centro de Ciência Viva de Estremoz.

Neste encontro que teve início com uma pequena palestra, no auditório do InovPlantProtect, participaram 41 alunos das Escolas Secundárias Mouzinho da Silveira, de Portalegre, e D. Sancho II de Elvas.

Pedro Fevereiro, CEO do InnovPlantProtect, refere que não podiam deixar de assinalar este dia, sendo esta é uma forma de demonstrar aos alunos a importância que as plantas têm, na nossa vida. “O InovPlantProtect trabalha com culturas e, sobretudo, com a sua proteção, e no fundo associar-se a esta iniciativa, de todos os anos se falar do Fascínio das plantas e da sua importância para nós, não só do ponto de vista alimentar, é algo que não podíamos deixar de fazer, e achámos que o devíamos fazer, precisamente, com os mais novos, para que compreendam o que são as plantas, qual a sua importância na nossa vida e, até alguns deles, profissionalmente possam vir a trabalhar com elas”.

No momento que vivemos, com a guerra na Ucrânia, está clara a importância das plantas, revela Pedro Fevereiro, alertando para a necessidade de as compreendermos, para sobrevivermos como espécie. “Sabemos que as plantas são a base da nossa alimentação e, mesmo que nos alimentemos de animais, esses animais precisam das plantas para se alimentarem, e se não conhecermos as plantas, se não soubermos gerir as nossas culturas e a sua importância no meio ambiente, não conseguimos fazer nada, é como falar da sustentabilidade e não perceber o que são as plantas nesse contexto, não faz sentido, e este dia pretende alertar para importância de conhecermos as plantas para sobreviver, enquanto espécie”.

Pedro Fevereiro fez uma breve apresentação aos alunos, denominada de “Biodiversidade Vegetal”, onde procurou, segundo explica, “chamar a atenção para o fascínio que as plantas podem ter, como organismos vivos, e como entidades que observamos e, por outro lado,  a diversidade existente e a sua importância para o ser humano, e ainda do ponto de vista de melhorarmos as plantas,  para que adaptem às diversas condições e às nossas necessidades”.

O CEO do InovPlantProtect, em Elvas, considera que é fundamental fazer entender à sociedade em geral, que as funções desempenhadas por este laboratório colaborativo servem, de certa forma, a sociedade e, desse ponto de vista, “este tipo de iniciativas, neste caso com os alunos, é importante porque temos que devolver à sociedade o que ela nos deu, que foi instalarmo-nos aqui e desenvolver a nossa atividade”.

Da Escola Secundária D. Sancho II, foram 20, os alunos do Curso Profissional de Produção Agropecuária, que participaram neste encontro. Alcides Silva, responsável pelo Clube de Ciência Viva, no Agrupamento de Escolas nº3 de Elvas, revela que o Clube na escola nasceu em abril, deste ano. O Professor destaca a importância desta iniciativa, na medida em que pode criar, nos alunos, o gosto pela “ciência, botânica e pela atividade de investigação e científica, em geral”.

Já Madalena Capela, responsável no Agrupamento de Escolas do Bonfim, em Portalegre, garante que o clube “não tem praticamente atividades”, pelo que sempre que surgem estas oportunidades “tenta que os seus alunos participem”.

Depois da palestra, no auditório, pelo CEO do InovPlantProtect, os alunos tiveram oportunidade de visitar os laboratórios desta instituição, seguindo depois para o jardim municipal, onde puderam conhecer as diversas plantas existentes, numa iniciativa que teve como objetivo assinalar o Dia do Fascínio das Plantas.