Santa Eulália vai ter resposta social de ATL

Santa Eulália vai contar, em breve, com uma reposta social de ATL, depois de assinado, na manhã desta sexta-feira, dia 7 de maio, um contrato de comodato, entre o Município de Elvas e a Junta de Freguesia, para a utilização das antigas instalações do Lar Dr. Manuel Pinheiro, na Avenida Augusto de Andrade.

A autarquia cede o espaço para uso, e “não em propriedade”, para que ali funcione um ATL, que irá ser dinamizado pela Associação Humanitária de Santa Eulália, em conjunto com a Junta de Freguesia.

“O que a Câmara está a proporcionar, depois de ter feito uma limpeza, a conservação do espaço e de o ter equipado para esse fim, é ceder à Junta de Freguesia, para que a Junta de Freguesia e a Associação Humanitária possam continuar a usufruir daquele espaço para um serviço social à comunidade”, explicou o presidente da Câmara de Elvas, Nuno Mocinha.

As instalações do antigo lar de Santa Eulália, recorda Mocinha, foram cedidas à Câmara Municipal, em tempos, para uso exclusivo na área social, “nunca para ser alienadas ou  transferidas para outro fim que não seja a área social”.

Relativamente ao facto de ser a Associação Humanitária de Santa Eulália a desenvolver este ATL, Mocinha explica que é “dentro da mesma que estão os representantes dos pais dos alunos”. “Foram os pais dos alunos que solicitaram à Junta de Freguesia e à Câmara Municipal que aquele espaço pudesse ser utilizado, neste caso, para fins educativos”, remata o autarca.

Já o presidente da Junta de Freguesia de Santa Eulália, Adriano Carlos, considera ser “bastante importante e uma mais-valia” a assinatura deste contrato de comodato, uma vez que vai permitir que os pais possam ter os filhos aos cuidados de alguém, depois das aulas. “Muitas crianças, muitas vezes, nem lanches têm, na parte da tarde, porque estão com as avós ou outras pessoas que nem são da família”, comenta.

Para já, adianta ainda Adriano Carlos, ainda não foi feito o levantamento do número de crianças que poderá vir a frequentar este ATL: “sabemos que já há crianças que possam ir para lá, mas ainda não sabemos o número exato”, revela.

Ainda antes deste ATL poder ser uma realidade, explica ainda o presidente da Junta de Freguesia de Santa Eulália, será necessário estabelecer um protocolo com a Associação Humanitária. “Uma associação de pais é que vai tomar conta dessa valência, mas sempre com o apoio da Junta de Freguesia, porque não é uma associação que consegue movimentar um ATL”, diz ainda Adriano Carlos.

Este contrato de comodato, assinado entre a Câmara Municipal de Elvas e a Junta de Freguesia de Santa Eulália, esta manhã, no salão nobre dos Paços do Concelho, é válido por 20 anos.