Rondão Almeida satisfeito com o São Mateus, mas admite algumas mudanças

José Rondão Almeida, presidente da Câmara Municipal de Elvas, esteve ontem em entrevista, na Rádio ELVAS, a partir do nosso espaço, no Parque da Piedade, para fazer uma análise ao que tem sido a edição deste ano da Feira de São Mateus.

Aos nossos microfones, Rondão Almeida referiu que, até agora, tudo tem corrido bem mas, considera que são necessárias melhorias. “Fazendo uma análise, tudo tem estado a correr extremamente bem, o São Pedro tem-nos estado a ajudar e, por outro lado, foi extremamente simpático verificar adesão que teve a Procissão dos Pendões, com milhares de crentes e, verificou-se outra coisa, que as pessoas estavam desejosas de voltar a ter a liberdade de poder conviver”.

Em relação ao São Mateus, que “junta o profano ao religioso, acho que está tudo bem, mas precisa de algumas mexidas e é notado por quem visita a feira e quem paga o respetivos espaços, para aqui se encontrar”, acrescenta o presidente.

Questionado sobre quais as alterações, Rondão Almeida apontou que a Confraria do Senhor Jesus da Piedade deve ter uma preocupação ao delinear a estrutura para os feirantes. “Por um lado, meter-me no território da Confraria é sempre difícil fazer análises, porque estamos a falar de outra entidade, mas acho que tem que haver uma preocupação no delinear da estrutura de implantação neste local, dos feirantes ou expositores”, adianta. “Em tempos, a Confraria perdeu uma oportunidade tremenda quando propus fazer um contrato de comodato por mais de dez anos, para aproveitar fundos comunitários e poder fazer uma requalificação total destes cerca de oito hectares”.

Neste momento, o poder local não pode fazer nada, nesse sentido, explica Rondão, “porque estão trancadas as oportunidades de colocar um projeto para reestruturar espaços, para uma feira, porque os novos quadros comunitários estão a apostar noutras linhas de financiamento e noutro tipo de projetos”. No entanto, o presidente aconselha ainda a Confraria a procurar, junto do Gabinete de Candidaturas da Câmara Municipal, quais as oportunidades existentes, para entidades, requalificarem os seus espaços.

O autarca acrescenta que, no que diz respeito à Expo São Mateus, uma área da responsabilidade da Câmara de Elvas, fez uma análise e concluiu que, são necessárias alterações, pois há duas noites o presidente verificou que “o espaço em frente ao palco principal, estava praticamente vazio, com os DJ’s a atuar para ninguém; fiquei admirado e dirigi-me à parte superior da feira, onde estão alguns bares, também com DJ, e a conclusão que tirei é que uma cidade como a nossa, com uma população reduzida, é impensável continuar a ter dois espaços, alternativos, para ocupar os jovens, a partir da uma da manhã, pelo que alguma coisa vai ter que mudar”, assegura Rondão Almeida.

O presidente garante que “ou o espaço onde funciona a Expo São Mateus consegue corresponder ao que acontece na parte de cima, ou a Expo continuar a ser como é mas acaba no momento em que o concerto acaba, o fogo começa e os jovens se deslocam para onde gostam de estar; e aí surge a Câmara conjuntamente com os donos dos espaços a criar as condições, que infelizmente não existem nesse local; não existem condições para instalação elétrica, nem para água como deve ser, nem condições de higiene, com casas de banho adequadas, para dar resposta”.

Rondão Almeida assume que “este é o desafio que eu quero encarar para o próximo ano”.

A entrevista na íntegra, ao presidente da Câmara Municipal de Elvas, José Rondão Almeida, para ouvir hoje, na emissão da Rádio ELVAS, às 13 horas.