Nos pior dos cenários, “Abrilongo pode ter que alterar dotações de consumo”

A Barragem do Abrilongo, no concelho de Campo Maior, tem atualmente mais de 10 milhões de metros cúbicos de água disponíveis para a campanha de rega, ou seja, cerca de 56 por cento da capacidade total.

António Pinheiro, presidente da Associação de Beneficiários do Rio Xévora, refere que, “por enquanto, não vemos grandes problemas no que diz respeito ao perímetro de rega. Nós a 17 de janeiro de 2021, estávamos a 44 por cento. Só que de janeiro a meados de abril choveu bastante e conseguimos atingir a totalidade da sua capacidade”.

O responsável refere que, no pior dos cenários, a associação terá que “alterar as dotações máximas de consumo atribuídas a cada agricultor. O ano passado, conseguimos dar uma dotação de 12 mil metros cúbicos, por hectare, o que permitia aos agricultores fazer uma segunda cultura ou uma cultura mais necessitária de água. A campanha de rega não é posta em causa mas algumas culturas podem ficar condicionadas”.

António Pinheiro garante que a falta de chuva coloca em causa algumas culturas nesta altura, sendo que “os agricultores estão impedidos de aplicar o adubo de cobertura enquanto não chover”.

A barragem de Abrilongo localiza-se no concelho de Campo Maior, tendo sido projetada em 1993 e entrado em funcionamento em 2000.