Quercus defende transição global para energias renováveis

O último relatório do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC) destaca a crescente crise climática e os desafios energéticos que enfrentamos. Com o início da 26ª Conferência das Partes sobre Mudanças Climáticas da ONU marcado para dia 31, as organizações da sociedade civil consideram que é necessária uma mudança global urgente para a energia limpa e renovável.

De acordo com José Janela, da Quercus, “esta transição para energia renovável limpa já está em andamento e está gerando empregos e oportunidades. Desenvolver isso com base em princípios de justiça ambiental e social, equidade, diversidade, resiliência e os direitos e interesses das comunidades e de nosso ambiente proporcionará empregos qualificados e sustentáveis, atividade económica e acesso fiável à eletricidade em todo o mundo”.

Apesar da energia nuclear ser apontada como uma solução, José Janela assegura que a “energia nuclear está cada vez mais insegura e não é confiável num mundo em aquecimento, com paradas mais frequentes e incapacidade de operar com segurança em condições climáticas alteradas”.

De acordo com a Quercus, cada euro investido em energia nuclear piora a crise climática ao desviar o investimento de tecnologia de energia renovável. A energia nuclear e as energias renováveis estão em destaque na edição desta semana do programa Ambiente FM, com José Janela, da Quercus.