PSP desenvolve operação “Bullying é para fracos”

A Polícia de Segurança Pública (PSP) iniciou, no passado dia 18, a operação “Bullying é para fracos”, por ocasião do Dia Mundial do Combate ao Bullying que se assinala anualmente a 20 de outubro.

Esta operação, que decorre até dia 29, abrange os estabelecimentos de ensino do 1.º ao 3.º ciclos, abarcando crianças e jovens dos 6 aos 14/15 anos de idade.

No ano 2020/2021, no âmbito desta operação, a PSP realizou 600 ações de sensibilização envolvendo 14.319 alunos em 349 estabelecimentos de ensino, complementadas com 582 contactos individuais.

O Dia Mundial do Combate ao Bullying constitui-se como um alerta internacional para o problema do bullying com o qual muitos jovens convivem diariamente e que é suscetível de interferir, de forma negativa e com grande impacto também a longo prazo, no seu crescimento físico, emocional e psicológico.

Desde o arranque do ano letivo 2021/2022, ainda marcado pelos efeitos do distanciamento social e atividades letivas não presenciais do ano letivo anterior, a PSP está particularmente atenta à forma como estão a ser retomados tanto os contactos interpessoais como as dinâmicas de socialização entre as crianças e jovens em ambiente escolar. A ausência prolongada de interação presencial pode ter contribuído para uma retração das competências de socialização e com isso potenciar comportamentos de bullying ou ciberbullying.

Por esta razão, a PSP volta a dedicar o mês de outubro ao reforço da informação e sensibilização da comunidade discente e docente, visando aumentar o conhecimento sobre este fenómeno, capacitando a deteção precoce; fazer crescer o sentimento de intolerância e de rejeição para com as práticas de bullying; incrementar a confiança nas capacidades da PSP e dos demais parceiros neste contexto para intervir e lidar eficazmente com o problema e alavancar a atenção dos pais, educadores e outras testemunhas, aumentando a confiança na denúncia aos Polícias da Escola Segura como forma de desencadear a resolução desta problemática.

A PSP relembra que os Polícias afetos ao policiamento de proximidade da Escola Segura se encontram sempre presentes e disponíveis para receberem denúncias, aconselharem e apoiarem inicialmente as vítimas e as respetivas famílias.