Movimento “Vencer e Viver” apoia vítimas de cancro de mama

Hoje celebra-se o dia Mundial do Cancro da Mama Metastático, um problema relevante de saúde pública, uma vez que este é o tipo de cancro mais frequente em Portugal e no mundo. Durante o mês de Outubro, a Liga Portuguesa Contra o Cancro encoraja a comunidade a participar na iniciativa “Outubro Rosa”, de forma a sensibilizar e promover o debate sobre esta doença.

O “Vencer e Viver” é um movimento de entreajuda que pretende apoiar as mulheres, familiares e amigos, que passam por este processo, a partir do momento do diagnóstico da doença. Eduarda Pécurto, coordenadora do Grupo de Apoio da Liga Portuguesa Contra o Cancro e do movimento “Vencer e Viver”, explica que este baseia-se no contacto entre a doente e a voluntária: “nós damos muito apoio emocional, através do nosso testemunho e da nossa presença junto das mulheres que passam pelo cancro da mama”.

A coordenadora revela que este grupo específico de voluntárias é constituído apenas por mulheres que já passaram pelo cancro da mama, com o objetivo de apoiar quem ainda esteja a passar pela doença, “estamos presentes em quimioterapias, radioterapias e consultas de Oncologia”, sendo que “todo o apoio dado através das próteses e cabeleiras é feito pelas voluntárias”. Devido à pandemia, o grupo não se encontra no Hospital de Évora, mas sim na Avenida Gago Coutinho, número 28, sendo que todas as condições e apoios, desde cabeleiras a medicamentos, continuam assegurados.

Eduarda Pécurto destaca ainda a necessidade e importância do rastreio para a prevenção e descoberta atempada do cancro da mama, sendo que o tratamento é mais eficaz, menos agressivo, atingindo-se a cura total. Tal como explica a coordenadora, “o rastreio percorre  o país durante o ano todo”, sendo este extremamente importante na descoberta de um diagnóstico atempado.

O Movimento Vencer e Viver é é promovido e financiado pela Liga Portuguesa Contra o Cancro, através dos seus Núcleos Regionais e teve início em 1981, tendo como principal objetivo apoiar todas as mulheres e familiares que estiverem a passar pela doença.