Eucalipto moçambicano preocupa ambientalistas

Os grupos ambientalistas portugueses, entre eles a Quercus, e moçambicanos denunciam a The Navigator Company numa altura em que chegou a Portugal o primeiro carregamento de eucalipto moçambicano.

De acordo com José Janela (na fotografia ao lado), da Quercus, “o primeiro carregamento de toros de eucalipto que chegou a Aveiro proveniente do porto da Beira, em Moçambique, foi recebido com fortes críticas por grupos moçambicanos e portugueses, apoiados por coligações internacionais. A madeira provém de plantações de eucalipto exploradas pela Portucel Moçambique, subsidiária da empresa Navigator, e será utilizada nas fábricas de pasta e papel em Portugal. Outros dois carregamentos são esperados este ano, com total de 100 mil metros cúbicos de madeira”.

Por outro lado, José Janela deixa alguns conselhos relacionados com a utilização do papel como “poupar papel e ao comprar papel deve ter-se cuidado em ver a sua origem e optar por papel reciclado e ecológico”.

Associações ambientalistas preocupadas com carregamentos de madeira moçambicana que estão a chegar a Portugal. Este é o tema do Ambiente em FM desta semana, na Rádio ELVAS.