Revista Flauta de Luz no “Ambiente em FM”

Nascida em 2013, pela mão do escritor Júlio Henriques, a revista Flauta de Luz, distribuída, a nível nacional, pela editora Antígona, do distrito de Portalegre, tem dado grande destaque às questões ambientais e ecológicas.

Na edição número oito da revista, lançada recentemente, revela José Janela da Quercus, na edição desta semana do programa “Ambiente em FM”, podem ler-se artigos, entre outros, do líder indígena e ambientalista brasileiro Ailton Krenak, de Fernando Gonçalves e Júlio Henriques.

Sobre um artigo de Paulo Barreiros sobre “O défice de natureza na era digital”, José Janela refere que “o transtorno do défice de natureza é já uma expressão reveladora das graves mazelas patológicas existentes na primeira geração criada no afastamento sistemático da natureza. Os confinamentos induzidos pelo ‘modo de ser’ da sociedade industrial são nefastos para o desenvolvimento das crianças, que deveriam poder crescer ao ar livre, em contacto com os elementos – e não enganchadas aos instrumentos digitais que já começaram a diminuir o seu Quociente de Inteligência”.

José Janela revela que também já foram lançados os primeiros “Livros Flauta de Luz”, cujo primeiro livro editado se chama “Contra o Leviatã, contra a sua história”. É uma das obras-primas de Fredy Perlman, em que procede a uma revisitação crítica da história da Humanidade, desde as origens sumérias da civilização ocidental até aos nossos dias, pondo em causa os fundamentos canónicos baseados na narrativa estatal. “O Leviatã representa o Estado no seu sentido mais profundo e amplo, não só a instituição administrativa de uma sociedade, mas também a construção da própria sociedade, a sua maquinaria, a sua espiritualidade morta, o seu militarismo, as suas relações alienadas e patriarcais, o seu desprezo pela natureza e as suas tecnologias de poder”, revela ainda o ambientalista.