Insolvências aumentaram 33,3 por cento no distrito de Portalegre

As ações de insolvência tiveram um aumento de 16,1%, a nível nacional, no primeiro semestre deste ano, face ao período homólogo de 2020, com um total de 2.806 insolvências, mais 389 que no ano passado.

No distrito de Portalegre, as insolvências tiveram um aumento de 33,3 por cento, sendo que, de acordo com Jorge Pais, Núcleo Empresarial da Região de Portalegre (NERPOR), “os números reais devem ser superiores ao que foi divulgado, uma vez que muitas empresas simplesmente fecham a porta sem fazer o processo oficial. Em regiões como a nossa, este impacto é muito mais intenso e mais forte, uma vez que temos muitas fragilidades ao nível do tecido empresarial e sentimos com maior intensidade todas as consequências da pandemia”.

Jorge Pais garante que “a situação da pandemia agravou muito as condições económicas das empresas, sobretudo das mais pequenas, que são as que predominam na região do Alto Alentejo”.

No que diz respeito a setores, os aumentos mais significativos registaram-se nas atividades de Eletricidade, Gás, Água (+150%), Telecomunicações (+133,3%), Hotelaria e Restauração (+76,6%) e Indústria Extrativa (+75%).