Campanha “Taxa Zero ao Volante” nas estradas do país

A Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária (ANSR), a Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Polícia de Segurança Pública (PSP) lançam hoje, terça-feira, dia 6 de julho, a Campanha de Segurança Rodoviária “Taxa Zero ao Volante” inserida no Plano Nacional de Fiscalização de 2021.

A decorrer até 12 de julho, a campanha tem como objetivo “alertar os condutores para os riscos da condução sob a influência do álcool, uma vez que um em cada quatro condutores mortos em acidentes de viação apresenta uma taxa de álcool no sangue igual ou superior a 0,5 g/l, e destes condutores, três em cada quatro apresentam uma taxa igual ou superior a 1,2 g/l”, de acordo com Pedro Miguel Silva, assessor da presidência da Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária.

Vários estudos científicos demonstram que conduzir sob a influência do álcool causa perturbações ao nível cognitivo e do processamento de informação, o que acarreta, entre outros efeitos, uma menor capacidade e rapidez de decisão, aumento do tempo de reação, diminuição do campo visual (visão em túnel) e descoordenação de movimentos. Esta perda de capacidades, bem como as alterações de comportamento que podem levar a estados de euforia e desinibição, aumenta de forma muito significativa o risco de envolvimento em acidentes rodoviários.

O Plano Nacional de Fiscalização, enquadrado no Plano Estratégico Nacional de Segurança Rodoviária – PENSE 2020, o qual tem como desígnio “Tornar a Segurança Rodoviária uma prioridade para todos os Portugueses”, prevê a realização de campanhas de sensibilização em simultâneo com operações de fiscalização em locais onde ocorrem regularmente infrações que representam um risco acrescido para a ocorrência de acidentes.

Assim, a campanha “Taxa Zero ao Volante” integrará ações de sensibilização da ANSR e operações de fiscalização pela GNR e pela PSP.

A ANSR, a GNR e a PSP relembram que a condução sob a influência do álcool é um risco para a sua segurança e dos outros, uma vez que com uma taxa de álcool no sangue de 0,5 g/l o risco de sofrer um acidente mortal duplica e os acidentes que decorrem da condução sob a influência do álcool são particularmente graves.

A sinistralidade rodoviária não é uma fatalidade e as suas consequências mais graves podem ser evitadas através da adoção de comportamentos seguros na estrada.