Miguel Carvalho aconselha a evitar incêndios no verão

Com as altas temperaturas que já se fazem sentir no país e, principalmente na região, consequentemente, há um maior risco de incêndios.

A região, pelas suas características é propensa a incêndios. Neste sentido o comandante dos Bombeiros Voluntários de Campo Maior, Miguel Carvalho, explica que, “ há uma maior propensão na parte rural, pelas características da região, sendo por isso necessário ter cuidado com combustíveis finos e com a existência de máquinas a cortar as searas, uma vez que com as altas temperaturas nesta zona, é pior a propensão para ocorrer algum incêndio.

“Todo o cuidado é pouco”, diz o comandante alertando que “não se deve usar o fogo, e caso tenha que ser utilizado, por motivos de força maior, é preciso ter atenção quando e como o fazer, por exemplo, ter atenção à temperatura e ao vento”.

Miguel Carvalho refere que “vivemos num país de fogo e por isso não é possível ter um verão sem fogo, mas não podemos é ter um verão igual ao de anos como 2017, 2005, algo que não pode voltar a acontecer”, relembra o comandante.

Neste momento, as queimas e queimadas só são permitidas por motivos “muito excecionais, por exemplo, para dizimar pragas nos pomares, mas com as devidas autorizações governamentais, do Ministério da Agricultura, é que é possível fazer queimadas, mas em dias favoráveis à utilização do fogo, com vários parceiros e fortes medidas de segurança”, revela.

O comandante dos Bombeiros de Campo Maior reforça ainda alguns conselhos para evitar incêndios, no que ao uso do fogo diz respeito: “redobrar cuidados com pontas de cigarros, com utilização de máquinas rurais nos terrenos, cuidados com motosserras, máquinas de soldar e geradores, tudo o que seja a combustão”.

Os conselhos do Comandante dos Bombeiros de Campo Maior, no sentido de que se evitem incêndios, nesta época de maior calor.