Letícia Garcia vai deixar presidência da CPCJ de Campo Maior

Letícia Garcia vai deixar a presidência da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Campo Maior, no final deste mês de maio, altura em que vão existir eleições para a Comissão.

A ainda atual presidente da CPCJ, em Campo Maior, explica que não lhe é possível fazer mais um mandato como presidente, uma vez que já está “há oito anos na comissão, e o máximo que pode estar são nove”, pelo que não lhe é possível fazer mais um mandato, que são normalmente de três anos.

Letícia Garcia afirma que sai “com a sensação de dever cumprido, porque dei tudo o que tinha para dar à Comissão, lutei sempre muito por esta causa e para que fosse cumprida a lei de proteção de crianças e jovens em perigo”, e lembra que “infelizmente muitas entidades não conhecem a lei e não sabem que a CPCJ é uma entidade com autonomia funcional, e que este se assume como um trabalho diário”.

O seu trabalho passou por acompanhar processos e as famílias, incluindo na escola. Letícia Garcia diz que fez sempre o seu trabalho “com muito empenho, sempre com intuito de ajudar as famílias, ser um apoio e encontrar soluções”.

Relativamente ao funcionamento da CPCJ, em Campo Maior, no geral, tentou “fomentar o espírito de equipa e de inclusão”. “Tentei sempre que as pessoas percebessem que só existe uma Comissão, pelo que devemos trabalhar em conjunto e o nosso papel que é a prevenção é fundamental”.

“Se a própria comunidade desconhecer a Lei de Promoção e Proteção de crianças e Jovens em perigo, e não a respeitar, tal como está escrita, não estamos a proteger as nossas crianças”, remata Letícia Garcia, considerando por isso, fundamental o envolvimento com a comunidade.

Letícia Garcia que deixa de ser presidente da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Campo Maior, no final deste mês depois de serem realizadas as eleições.