Festival da Juventude online; Festival Medieval e Feira Escolar não há

Foto arquivo

A realização do Festival da Juventude, Festival Medieval e Feira Escolar estiveram em discussão esta manhã de quarta-feira, dia 22, na reunião do executivo da Câmara de Elvas, tendo sido aprovado que o Festival da Juventude vai decorrer online e o Festival Medieval e Feira Escolar, este ano, não se vão realizar.

Assim, o Festival da Juventude, que normalmente decorre no mês de maio, este ano, não irá decorrer nos moldes habituais, no Coliseu Comendador Rondão Almeida, uma vez que a pandemia ainda não o permite. No entanto, Nuno Mocinha, presidente da Câmara Municipal de Elvas, explica que o evento irá decorrer, mas “de forma online, através das redes sociais, onde todos os grupos de Elvas, a quem é dada preferência, irão atuar, para que mostrem o seu trabalho e tenham acesso a outro tipo de equipamentos que, normalmente não têm”.

“A festa é da Juventude e, por isso, é dado privilégio aos jovens elvenses”. Nuno Mocinha espera que a iniciativa “corra bem” e apela ainda aos jovens que vão assistir aos concertos, que “apoiem os músicos que, preparam ao longo do ano, um trabalho que todos gostem, e por isso devem ser apoiados”.

Quanto à Feira Escolar, uma iniciativa que enaltece o trabalho desenvolvido pelos alunos das escolas do concelho, aliado ao Dia Mundial da Criança, também “não estão reunidas as condições” para a sua realização”, pelo que Nuno Mocinha afirma que “é com pena que não pode ser realizada, mas tendo em conta as regras definidas pela DGS, para este tipo de eventos, não estão criadas condições” para tal.

O presidente espera que, para o ano, a mesma já possa realizada e possam, inclusive “ser mostrados os trabalhos realizados ao longo deste ano letivo”, uma vez que “é uma iniciativa que tem sempre muito significado”.

Também o Festival Medieval não vai este ano acontecer, uma vez que, como revela o presidente da Câmara de Elvas, “não haveria controlo de acessos, relativamente à quantidade de pessoas que iriam circular pelo centro histórico, bem como as restantes regras para este tipo de eventos, pelo que a decisão mais prudente é a não realização”. Nuno Mocinha adianta ainda que o Dia da Elevação de Elvas a Património da Humanidade, 30 de junho, será comemorado, mas, “respeitando todas as regras de segurança, porque é importante todos assumirmos a nossa responsabilidade”.

O presidente da Câmara Municipal de Elvas explica ainda que, apesar de o desconfinamento “ser uma boa notícia para a atividade económica e para que as pessoas possam saiam a sua casa”, contudo, “o município não pode realizar eventos que, por um lado não estejam dentro das regras, e por outro que contribuam para que se dê um passo atrás”, no que à pandemia diz respeito, “pelo contrário devemos todos ir acompanhando, para se dê um passo adiante”.

Festival da Juventude em Elvas decorre, este ano, de forma online; já a Feira Escolar e o Festival Medieval não vão realizar-se este ano.