Largo dos Combatentes valoriza “componente patrimonial”

A requalificação do Largo dos Combatentes, em Elvas, está já na sua fase final. A solução arquitetónica adotada permite que este espaço, junto às Portas de São Vicente, passe a estar mais disponível para os moradores da zona e visitantes da cidade.

Nuno Mocinha (na foto), presidente da câmara de Elvas, explica que “esta obra faz parte de um conjunto de requalificações que estão a ser feitas na cidade: começa no Castelo, passa pela Faceira da Cisterna, Avenida de São Domingos, Largo dos Combatentes e termina perto do Cemitério dos ingleses, ou seja faz praticamente o perímetro da cidade no que diz respeito às muralhas. Neste espaço, foram criados espaços para que as pessoas possam ter o seu lazer e ao mesmo tempo foi valorizada toda a componente patrimonial”.

Mocinha considera que após todas as intervenções que estão a ser feitas, a cidade vai ter “nova cara e vai ficar mais moderna para, não só dar mais condições a que cá reside, mas também receber quem nos visita e quem deixa alguma receita na nossa cidade”.

As áreas envolventes à fonte e ao Monumento aos Mortos da I Guerra Mundial são os pontos mais destacados da remodelação ali levada a cabo. A obra ali concretizada representa um investimento de 230 mil euros, com uma comparticipação de 85% de fundos da União Europeia.

O Largo dos Combatentes é um local de passagem, de ligação entre a zona baixa do centro histórico e o Bairro da Boa-Fé, quer para quem se desloca a pé ou em viatura, para lá de ser uma área de lazer, para os moradores da zona, em especial durante os tempos livres da primavera e verão.