Educação ambiental em pandemia no “Ambiente em FM”

A educação ambiental, em tempos de pandemia, deve continuar a ser realizada, e adaptada à nova realidade. José Janela, da Quercus, explica que há que ter em conta as condições sanitárias e todos os constrangimentos que daí advêm.

José Janela afirma que “há questões que devem ser lembradas, como é o caso da educação ambiental ao ar livre e em zonas protegidas”. As atividades ao ar livre “têm um papel insubstituível, uma vez que o contacto com os elementos da natureza, estimula os sentidos e estreita os laços entre as crianças e o meio onde vivem, evidenciando que fazem parte integrante da natureza”.

José Janela deixa ainda alguns conselhos no contacto com a natureza, como por exemplo, “consultar previamente a rede de percursos disponíveis, respeitar os trilhos oficiais sinalizados e levar material para registar a fauna e flora observadas. Em áreas protegidas há que respeitar as regras básicas de conduta cívica, ou seja, não perturbar ou alimentar animais, não arrancar ou pisar a vegetação, não abandonar resíduos ou fazer lume”.

Para manter uma educação ambiental e o contacto com a natureza, em tempos de pandemia, é necessário ter planos de contingência para que este tipo de contacto seja realizado com toda a segurança. A importância da educação ambiental em tempos de pandemia é o tema em destaque esta semana, no “Ambiente em FM”, que pode ouvir na emissão da Rádio ELVAS, ao meio-dia e meia e às 16.30 horas.