Arcebispo de Évora lamenta furto de peças em Viana do Alentejo

Diversas peças em ouro e prata, oferecidas pelos fiéis, foram roubadas do Santuário de Nossa Senhora D’Aires, em Viana do Alentejo. O caso remota a 2009, mas só agora a arquidiocese de Évora apresentou queixa às autoridades.

O arcebispo de Évora, D. Francisco Senra Coelho, manifesta profunda tristeza pelo desaparecimento destas peças, muitas delas descritas no inventário oficial da Arquidiocese. “É com profunda tristeza e mágoa que me dirijo a todos os fiéis da Arquidiocese de Évora e em especial aos paroquianos de Viana do Alentejo, e aos peregrinos e romeiros do Santuário de Nossa Senhora d’Aires, para vos dar nota de uma informação que a todos nos entristece”.

O arcebispo adianta que “fui informado a meados de 2020, por relato oral dos Párocos de Viana do Alentejo, do desaparecimento que remonta a Agosto de 2009, de um conjunto de ofertas feitas pelos fiéis que peregrinam ao Santuário de Nossa Senhora d’Aires. Muitas delas estão descritas no inventário oficial da Arquidiocese. No dia 26 de Junho de 2020 fiz participação à Polícia Judiciária a quem manifestei a nossa total colaboração para o apuramento de toda a verdade”.

Em nome da Arquidiocese, o arcebispo de Évora pede perdão a Deus e aos Cristãos pelo ocorrido. “Em nome da Arquidiocese peço perdão a Deus e peço perdão aos cristãos pela parte de responsabilidade que possa caber à Arquidiocese no que ocorreu, e que a investigação judiciária irá apurar”.

Numa altura em que o Santuário de encontra com obras de restauro, “ a sua reabertura, a realizar logo que as circunstâncias sanitárias o permitam, irá, assim, cruzar luz e sombra”.

A Arquidiocese está a tomar as medidas necessárias para o reforço na proteção e salvaguarda do seu património.