Fermelinda Carvalho insatisfeita com o lar PraCachopos sem vacinação

Os utentes e funcionários de três dos lares do concelho de Arronches receberam ontem a primeira dose da vacina contra a Covid-19, sendo que, de fora, para além do lar de Mosteiros, que tem um surto ativo, ficou também, para desagrado da presidente da Câmara, o Lar de Infância e Juventude Especializado PraCachopos.

“Para nosso descontentamento, (o lar PraCachopos) ficou de fora, e nós entendíamos que deveria ter sido considerado prioritário, porque são jovens que estão institucionalizados. Na nossa ótica, não faz qualquer sentido que não tenham sido considerados prioritários e integrados nesta primeira fase”, lamenta Fermelinda Carvalho.

A autarca espera que os jovens do lar PraCachopos venham, assim, os primeiros a ser vacinados, na próxima fase do plano de vacinação, até porque muitos deles “têm problemas de saúde”. Perante a decisão, de deixar esta instituição para trás nesta primeira fase, a autarquia apresentou já reclamação.

Fermelinda Carvalho lembra ainda que o concelho ficou para o fim, ao nível do distrito, para o arranque da vacinação nos lares, uma vez que Arronches, na última avaliação do Governo, era dos que tinha menor perigo em termos de contágio. Ainda assim, recorda que a vacinação, a nível nacional, chega ao fim na próxima semana.

Quanto aos lares de idosos, a presidente da Câmara revela que foram vacinados ontem, 20 de janeiro, todos os utentes e funcionários do Centro de Bem-Estar Social, da Santa Casa da Misericórdia e do Centro Social Bom Jesus da Esperança.

Relativamente ao surto no lar de Mosteiros, Fermelinda Carvalho adianta que alguns utentes irão ter alta esta quinta-feira, 21 de janeiro. “Mas ainda há pessoas positivas, no seio da instituição”, diz ainda.

Desde o início da pandemia, Arronches já registou 112 casos positivos de Covid-19. No concelho, até à data, não resistiram à doença duas pessoas.