Senhora de Fátima restaurada fica na Igreja de Santa Luzia

A imagem de Nossa Senhora de Fátima, que em maio passado sofreu uma queda durante o cortejo religioso, já foi restaurada.

Além da reparação dos estragos resultantes da queda, foi feito um profundo trabalho de restauro, uma vez que, segundo o relatório do profissional que fez o restauro, “a peça apresentava danos muito significativos relacionados com a temperatura e humidade”, de acordo com o padre Ricardo Lameira.

“Terminada a obra de restauro, no valor de 3560 euros, foi entregue, com a imagem, o relatório da obra onde se pode ler: “os responsáveis pela manutenção e zelo da Igreja deverão ter sempre em atenção, principalmente no tempo da consolidação: o controlo das condições ambientais de humidade e temperatura, através da manutenção das rotinas de limpeza e arejamento; não colocar as peças tratadas nas proximidades de peças não tratadas”.

A imagem de Nossa Senhora de Fátima, que antes se encontrava na antiga Sé de Elvas, está agora na Igreja de Santa Luzia. “O relatório do restauro indica que a imagem tem de estar num local seco, aberto e arejado, características que a Sé de Elvas não apresenta”, segundo o padre Ricardo. “Fui aconselhado, por inúmeros técnicos especializados na área da história de arte e de conservação e restauro, neste tempo de consolidação do trabalho, que seria um atentando à obra a sua colocação na Sé”.

A decisão de Ricardo Lameira em colocar a imagem na Igreja de Santa Luzia tem sido criticada e questionada por algumas pessoas. O pároco lamenta a atitude das pessoas e garante que “nenhuma das três paróquias” onde exerce funções “é mais importante que as outras”. Por fim, o padre Ricardo pede a todos para que “olhem para a imagem de Nossa Senhora, recorrendo à mensagem de conversão e emenda de vida”.

A imagem de Nossa Senhora de Fátima é uma peça de madeira policromada da primeira metade do século XX e foi talhada por José Ferreira Thedim, o mesmo que esculpiu a veneranda imagem de Nossa Senhora que se encontra ao culto em Fátima, na denominada Capelinha das Aparições. Essa imagem chegou a Elvas em 1947, por desejo do servo de Deus e então arcebispo de Évora, Manuel Mendes da Conceição Santos.