António Pinto Basto faz 50 anos de carreira no “Eléctrico 28”

António Pinto Basto completou 50 anos de carreira em 2020. O fadista aproveitou a ocasião para lançar o seu mais recente álbum, “Eléctrico 28”, composto por 20 temas, 17 deles originais. Mas apesar deste lançamento, a tournée pelo país teve que ser cancelada devido à pandemia.

O single de lançamento deste novo álbum chama-se “Primeiro Encontro”. “Reparámos que havia o dia dos namorados a 14 de fevereiro e foi nesse dia que foi lançado este tema. Além disso, quando estive uma vez com o José Cid, numa reunião de amigos, ele ouviu este tema, gostou muito e disse que o queria produzir. Reunimos em casa dele e o José Cid fez o seu arranjo musical deste tema”, explica o fadista.

Este primeiro single surge no CD de duas formas: “uma como fado, acompanhado só de viola e guitarra; e em versão hidden track, numa faixa escondida, digamos assim, que surge na 21ª posição”.

O primeiro disco de António Pinto Basto foi gravado em 1970 e conta com um fado dedicado ao Alentejo, chamado “Povo Sagrado”. Ao longo da sua carreira, o artista manteve sempre a região onde nasceu – o Alentejo – presente nas suas músicas. “Neste CD fiz questão de fechar com o tema Açorda d’Alho”, adianta.

Quanto aos 50 anos de carreira, o artista faz um balanço muito positivo. “Os 50 anos estão divididos em dois períodos: um primeiro período de 18 anos e um segundo de 32 anos”, explica. Numa primeira fase, a carreira foi levada em segundo plano, pois encontrava-se a estudar engenharia no Instituto Superior Técnico e começou a trabalhar na área. Já numa segunda fase, dedicou-se exclusivamente à música.

Neste mais recente trabalho de António Pinto Basto, “Eléctrico 28”, três temas fazem referência a Lisboa e a este eléctrico. Um facto curioso é que na altura em que comemora 50 anos de vida artística, ligada ao fado, este é o único eléctrico que ainda mantém a sua carreira.