Proprietária pede compreensão após instalar esplanada

A proprietária da “Tasca da Belinha” tem-se visto confrontada pelos moradores do Largo de Nossa Senhora das Dores, em Elvas, pelo facto de ter montada, com a devida autorização, uma esplanada naquele largo e ter assim tirado dois lugares de estacionamento.

Anabela Carvalho explica que, devido à pandemia, e como o seu espaço no interior do estabelecimento, ficou reduzido apenas a dez lugares, dos 30 anteriormente existentes, de forma a cumprir as normas da Direção-Geral da Saúde, se viu obrigada a “solicitar à Câmara de Elvas um espaço para uma esplanada, para poder ter mais clientes”.

A Câmara, depois de verificar o espaço, autorizou um espaço de 24 metros quadrados, “que são menos, à volta de 13/14 metros quadrados para a esplanada”, garante a proprietária, o que possibilita a Anabela “ter mais três ou quatro mesas, com o distanciamento que é exigido”. A questão que se coloca é que alguns moradores e trabalhadores da zona estão insatisfeitos e reclamam da falta destes dois lugares de estacionamento, “querem estacionar os carros e não me deixam trabalhar”. Anabela diz que alguns moradores deixaram de lhe falar, por causa do espaço da esplanada e mostra-se descontente pela falta de compreensão, uma vez que, devido à pandemia, o setor da restauração foi bastante afetado, Anabela diz que só quer “trabalhar”, porque este é o seu “sustento” e da sua família.

A proprietária pede aos moradores para que “sejam mais compreensivos, nesta fase de pandemia, e que nos deixem trabalhar, uma vez que os carros podem ser estacionados noutro local”, dizendo que também deixa o seu veículo longe, do estabelecimento.

Anabela acrescenta ainda: “eu não estou aqui para prejudicar ninguém, estou aqui porque quero trabalhar, eu preciso daquele espaço e as pessoas que trabalham e moram aqui sabem que há dias em que há mais gente; por exemplo, algumas segundas-feiras, em que caso não tenha espaço lá fora, mando as pessoas embora, só quero compreensão e mais nada, que me deixem trabalhar, que este é o meu sustento e da minha família”.

Anabela Carvalho, proprietária da “Tasca da Belinha”, no Largo de Nossa Senhora das Dores, no centro histórico de Elvas, depois de lhe ter sido concedido um espaço para colocar uma esplanada em dois lugares de estacionamento, tem visto descontentamento por parte dos moradores e trabalhadores da zona.