As consequências psicológicas da pandemia no “De Boa Saúde”

A pandemia Covid-19 não veio apenas mudar a forma como vivemos, mas alterar padrões de comportamento que podem ter repercussões gravíssimas ao nível da saúde mental das populações, durante os próximos anos.

Se é verdade que o isolamento é importante para proteger a nossa saúde física, também é verdade que quanto mais tempo estivermos isolados maiores serão os riscos de sofrermos doenças psiquiátricas.

Sabe-se aliás que a quarentena pode originar uma grande quantidade de sintomas psicopatológicos, como humor deprimido, irritabilidade, depressão e ansiedade.

Na edição desta semana do programa “De Boa Saúde”, o médico Pintão Antunes lembra que as pessoas estão muito afetadas psicologicamente, muito devido à falta de afetividade a que agora somos obrigados. “O que está a acontecer no mundo é grave. As pessoas estão muito afetadas emocionalmente, ocasionando ansiedade, depressões, porque falta-lhes muita coisa, no seu dia a dia”, explica.

No caso de pessoas mais velhas, adianta Pintão Antunes, sem afeto, por esta altura, com filhos e netos a viverem longe, acabam por sofrer “um desequilíbrio muito grande”.

Para além da falta de afetividade, o médico assegura que a desconfiança e insegurança, até pela informação que é divulgada, ao nível, por exemplo, das vacinas para combater a Covid-19, geram estes sintomas psicopatológicos.

As consequências psicológicas da pandemia Covid-19 são o tema desta semana do “De Boa Saúde”, com Carlos Falcato e o médico Pintão Antunes.