José Caldes e fecho do Estádio de Atletismo: “melhor é prevenir”

O encerramento do Estádio Municipal de Atletismo de Elvas obriga à paragem ou à procura de soluções, para que os atletas dos clubes, que usufruem daquele espaço, não fiquem impedidos de treinar durante um mês.

No caso da secção de atletismo do Clube Elvense de Natação (CEN), revela o presidente, José Caldes (na foto), já foram encontradas algumas alternativas. “No atletismo, consegue-se arranjar algum tipo de alternativas”, revela, adiantando que, contudo, há disciplinas mais técnicas, como é o caso do lançamento do peso, que acabam por sair prejudicadas. “Vamos ver até quando a Câmara tenciona estar com o estádio encerrado”, acrescenta.

Apesar dos constrangimentos inerentes à decisão da autarquia em encerrar aquele equipamento desportivo, após o surgimento de um caso positivo de Covid-19 entre os funcionários do mesmo, José Caldes garante que o melhor é prevenir, pelo que a direção do clube aceitou bem esta medida da Câmara Municipal. “Podia acontecer alguma infeção nos atletas e o clube não pode estar, de maneira alguma, de costas voltadas para uma decisão dessas. A decisão foi tomada, foi-me comunicado pelo município e nós aceitamos a decisão, até porque tudo o que é prevenir é melhor que reagir”, comenta ainda.

José Caldes lembra ainda que a Câmara de Elvas decidiu encerrar o estádio num mês de pandemia, enquanto muitos outros municípios já nem sequer abriram os seus equipamentos. “Esteve tudo parado aqui ao lado. As câmaras nem sequer arriscaram, e esta até arriscou abrir e teve os seus equipamentos abertos. Se num mês de um ano de pandemia, dissermos que a autarquia, depois de ter as suas autorizações, fechou 15 dias porque achou que era o melhor para todos, quem é o Clube Elvense de Natação para dizer o contrário?”, questiona.