Elvas deserta na primeira noite de confinamento obrigatório

Elvas, assim como outros 76 concelhos do país, entrou ontem, pelas 23 horas, na primeira noite de confinamento, após ter integrado a lista de risco elevado, devido à pandemia.

Numa ronda feita, pela cidade, durante a noite, foi possível perceber que a mesma estava praticamente deserta, pelo que é percetível que os elvenses acataram a decisão do Governo, tendo recolhido às suas casas.

Durante o dia, aplica-se o dever de permanência em casa, exceto para deslocações autorizadas: para compras, trabalho, ensino e atividade física. De recordar que o teletrabalho é obrigatório, sempre que possível.

A verdade é que nas principais artérias da cidade, sobretudo no centro histórico, ontem, mesmo durante o dia, já poucas pessoas se avistavam nas ruas, como se pode comprovar nas imagens abaixo.

A PSP encontra-se agora na rua para controlar e fiscalizar o recolher obrigatório.

Todas as medidas aplicadas ao concelho de Elvas e aos restantes 190 que se encontram na lista de risco elevado de contágio:

  • proibição de circulação na via pública entre as 23 e as 5 horas nos dias de semana e a partir das 13 horas aos sábados e domingos. Esta medida prevê algumas exceções (como deslocações para desempenho de funções profissionais ou equiparadas, sendo para isso necessária uma declaração; por motivos de saúde; para acolhimento de emergência de vítimas de violência doméstica ou tráfico de seres humanos, bem como de crianças e jovens em risco; para assistência de pessoas vulneráveis, pessoas com deficiência, filhos, progenitores, idosos ou dependentes; deslocações para cumprimento de responsabilidades parentais; para passeios higiénicos e para passeio dos animais de companhia; deslocações a estabelecimentos de venda de bens alimentares e de higiene com porta para a rua até 200 m2; para urgências veterinárias; deslocações necessárias ao exercício da liberdade de imprensa; por outros motivos de força maior; e regresso a casa proveniente das deslocações permitidas);
  • a possibilidade de realizar medições de temperatura corporal por meios não invasivos no acesso a locais de trabalho, estabelecimentos de ensino, meios de transporte, espaços comerciais, culturais e desportivos;
  • a possibilidade de exigir testes de diagnóstico para a COVID-19, no acesso a estabelecimentos de saúde, estruturas residenciais, estabelecimentos de ensino, estabelecimentos profissionais na entrada e na saída de território nacional – por via aérea ou marítima – e outros locais, por determinação da DGS;
  • a possibilidade de requisitar recursos, meios e estabelecimentos de saúde dos setores privado e social, após tentativa  de acordo e mediante justa compensação;
  • a mobilização de recursos humanos para reforço da capacidade de rastreamento (ex: realização de inquéritos epidemiológicos, rastreio de contactos, seguimento de pessoas sob vigilância ativa);
  • dever cívico de recolhimento domiciliário;
  • eventos e celebrações limitados a 5 pessoas, salvo se do mesmo agregado familiar;
  • desde que as funções em causa o permitam, o trabalhador disponha de condições para as exercer e não estejam em causa serviços essenciais, o teletrabalho é obrigatório: para as empresas que laborem neste concelho; para os trabalhadores que residam ou trabalhem neste concelho;
  • é obrigatório o desfasamento de horários de entrada e saída nos locais de trabalho para empresas que tenham locais de trabalho com 50 ou mais trabalhadores, sempre que as funções em causa não permitam adoção de teletrabalho;
  • encerramento dos estabelecimentos comerciais até às 22 horas (exceto take away, farmácias, consultórios e clínicas, funerárias, postos de abastecimento e rent-a-car);
  • encerramento de restaurantes até às 22.30 horas. Numa mesma mesma podem estar até seis pessoas, se do mesmo agregado familiar;
  • proibição de feiras e mercados de levante, salvo autorização emitida pelo presidente da Câmara Municipal, caso estejam verificadas as condições de segurança e o cumprimento das orientações definidas pela DGS;
  • e encerramento dos equipamentos culturais até às 22.30 horas.