Cuidados a ter na compra do carro a crédito na “DECO”

A decisão de adquirir um carro só deve ser tomada depois de ponderar o custo do mesmo no orçamento familiar, e tendo em conta que para além do preço do veículo há ainda encargos com a sua manutenção.

Na altura de comorar o carro, pode pagar a pronto, ou com recurso a crédito. Se optar por crédito, e segundo Vânia Traguedo jurista da Deco, deve avaliar a situação financeira, “uma vez que o total das dívidas não deve ultrapassar 35% do rendimento mensal líquido”. Existem ainda várias modalidades: “crédito, aluguer de longa duração ou alocação financeira, mas terá direito de negociar as taxas de juro atrativa com o maior número de bancos possível, a começar por aquele com o qual tem um maior envolvimento, de forma a beneficiar de bonificações no mesmo”.

Vânia Traguedo refere ainda que “para escolher a melhor proposta, pode utilizar a taxa anual efetiva (TAE), no crédito à habitação, e a taxa anual de encargos efetiva global (TAEG), no crédito ao consumo, como principal indicador comparativo, e sempre que o orçamento familiar permitir, amortize uma parte do crédito”, assim pagará menos juros.