Forças de segurança atentas à circulação entre concelhos

Tal como noticiado anteriormente, a circulação entre concelhos está proibida entre os dias 30 de outubro e 3 de novembro, ou seja, durante o fim de semana correspondente ao Dia de Finados.

Com esta limitação para fora dos concelhos de residência, pretende-se diminuir o fluxo de deslocações. No entanto, há setores da sociedade que constituem exceções para esta proibição, como é o caso “dos profissionais de saúde, forças e serviços de segurança, titulares de cargos políticos”, entre outros, de acordo com o superintendente Elias, diretor de operações da Polícia de Segurança Pública.

Também o uso de máscara e o consumo de bebidas alcoólicas vão ser fiscalizados.

O coronel Rui Veloso, diretor da direção de operações da Guarda Nacional Republicana, refere que “todas as valências da Guarda vão estar empenhadas nesta operação no sentido de fiscalizar estas deslocações. Não podemos deixar de ser firmes”.

Estas medidas foram anunciadas, em conferência de imprensa, no dia em que o país atingiu um novo recorde nos novos casos registados de Covid-19, com mais 4224 casos de infeção.

PSP e a GNR vão colocar todos os seus efetivos na operação que irá decorrer a partir da meia-noite até 3 de novembro, com a garantia de que a fiscalização das restrições impostas por lei, como a proibição de deslocações entre concelhos, será efetuada como “bom senso, informação e ajuda à população”, mas fazendo cumprir a lei com os agentes de segurança a atuar “com firmeza”, atentos à circulação automóvel, ao uso de máscara na via pública e aos horários e lotações de estabelecimentos de restauração.

Luís Elias, da PSP, esclareceu que um cidadão que seja detetado a circular para fora do concelho sem necessidade será obrigado a regressar à origem. A primeira ação não é assim a emissão de uma contraordenação, prevista na lei, mas sim a sensibilização. PSP e GNR asseguram que atuarão com firmeza em situações que sejam desrespeito das ordens em vigor.