João Rosinha em entrevista na Rádio ELVAS

João Rosinha, presidente da Junta de Freguesia da Expectação, em Campo Maior, esteve esta tarde em entrevista na Rádio ELVAS, para nos falar sobre as medidas e apoio da junta no combate à pandemia, bem como os diversos projetos que estão em curso.

O presidente começa por afirma que um dos seus grandes objetivos, e a um ano de terminar o mandato é cumprir aquilo com que se comprometeu no seu programa, 90%, até final do seu mandato.

Relativamente à pandemia, e “à semelhança do que aconteceu em todo o país, procurámos corresponder às necessidades da população e do comércio”, diz João Rosinha. Assim a junta de freguesia prestou um apoio “principalmente social, aos campomaiorenses”, nomeadamente na distribuição de Equipamento de proteção Individual, por diversas entidades, também quando a restauração abriu portas foram distribuídos termómetros de infra vermelhos e, numa parceria com a CURPI foram distribuídos, ao domicílio, alimentos e medicamentos aos idosos, que deles necessitavam. João Rosinha afirma que “a parte social tem sido uma grande aposta da junta, nestes últimos anos”.

A partir de março foram obrigados a “cortar em algumas coisas do orçamento para investir de forma, ainda que limitada, para o apoio à comunidade, não é significativo, mas cinco seis mil euros, na esperança de ser reembolsado de uma parte deste valor, o que levou ainda à suspensão de alguns investimentos e projetos para este ano.

Um dos projetos que ficou suspenso, devido à pandemia foram as obras de melhoramento do parque de merendas no recinto desportivo, que normalmente é muito frequentado por crianças, no entanto a criação de um espaço de mini futebol para as crianças foi adiado para 2021.

A junta de freguesia, e como explica João Rosinha, tem um conjunto de programas que decorrem ao longo do ano, nomeadamente o PAS (Plano de Apoio Social), que o presidente diz que “nunca foi suspenso, uma vez que a entrega de bens alimentares continua a ser entregue a diversas instituições de cariz social. Até à data o valor em géneros é de 200 euros, mas João Rosinha pretende aumentá-lo pra 300 euros, no próximo ano. Este programa tem um grande impacto para as instituições e abrange ainda outra vertente social, uma vez que todos os alimentos são adquiridos no comércio local. Existem ainda outros programas promovidas pela junta, entre eles o Programa de Pequenas recuperações domésticas, que “possibilita à população requerer pequenas reparações ao domicilio, em que apenas necessita de ter os materiais e a junta cede a mão-de-obra”, refere João Rosinha.

O presidente afirma ainda que o grande foco, neste momento, e para terminar o mandato é mesmo ver terminado o parque desportivo e parque de merendas e ainda fazer o campo de mini futebol e dotá-lo de relvado sintético e no campo de ténis, “esta é parte que mais nos move”.