Fórum Cívico Ibérico defende Estratégia Comum de Desenvolvimento Transfronteiriço

As organizações e os cidadãos portugueses e espanhóis, que integram o Fórum Cívico Ibérico, vão estar amanhã representados na Cimeira Luso-Espanhola, que decorre na Guarda, com o objetivo de fazer chegar aos dois chefes de estado as suas propostas relacionadas com a cooperação e o estreitamento das relações entre Portugal e Espanha.

O Fórum defende a Estratégia Comum de Desenvolvimento Transfronteiriço acordada entre os dois Governos e pretende a sua implementação imediata, sendo esta uma das muitas propostas que está patente no seu manifesto.

Segundo Francisco Castelo, representante deste fórum cívico ibérico, este manifesto resulta de várias reuniões entre entidades políticas, associações e cidadãos dos dois lados da fronteira, com propostas que vão desde a saúde, à educação e à economia.

“Nós queremos estar presentes para a certificação de qualidade de todos os futuros tratados cimeiro-ibéricos, porque ao longo de vários anos todos os tratados e cimeiras que se têm levado a concretizar”, revela Francisco Castelo, que adianta ainda que o trabalho, que pretendem fazer chegar aos Chefes de Estado, está “muito bem elaborado, a nível científico”.

Francisco Castelo assegura ainda que a cooperação entre os dois países, ainda que exista uma Eurocidade, constituída por Elvas, Campo Maior e Badajoz, continua a acontecer sobretudo ao nível da burocracia. “É preciso mais ação”, reclama.

O Fórum Cívico Ibérico defende, entre outros, “um plano de investimento de qualidade na Raia, o comboio Madrid-Lisboa (sem esquecer a volta do Lusitânia e um Alta Velocidade com escala nas regiões fronteiriças), um órgão de coordenação política a nível ministerial e uma instituição bilateral permanente e reconhecida em forma de Tratado entre os dois Estados”.