Paulo Canhão sente-se “prejudicado” com adiamento de eleições

Paulo Canhão, candidato da segunda lista à presidência de ”O Elvas” Clube Alentejano de Desportos, sente que o adiamento das eleições é “altamente prejudicial para mim e para a minha lista”.

“Mudaram o local, da sede do clube para o Auditório São Mateus, que, tendo em conta as normas da DGS, tem uma capacidade de 71 lugares. Mas cabe na cabeça de alguém que vinham só 71 pessoas a uma assembleia com duas listas a votação e com o que têm sido os últimos dias na cidade de Elvas? Isso não cabe na cabeça de ninguém e, por isso, foi mais uma vez uma má decisão do senhor presidente da Assembleia Geral atual. Já lho disse a ele e volto a dizer: tenho consideração e amizade enquanto pessoa. Enquanto presidente da Assembleia Geral, não me reconheço um milímetro, porque tem sido tendencioso”, ressalva Paulo Canhão.

O candidato garante ainda que “tenho o máximo respeito pela mesa, mas o senhor presidente tem sido tendencioso e eu e a minha equipa sentimos-nos prejudicados com a sua atuação. Eu também fui presidente da Mesa da Assembleia Geral de “O Elvas”, em três ocasiões, e o papel do presidente é o de representar e defender os sócios e o clube. Este presidente da Assembleia Geral não o tem feito”.