98 pontos num máximo de 100 para a Academia de Música de Elvas

Recentemente o Ministério da Educação lançou o concurso para a celebração de contratos de patrocínio, que visa integrar novos alunos nos anos letivos 2020/2021 a 2025/2026. Com mais de uma centena de escolas de ensino artístico especializado a concurso, a tutela, através da Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, determina o número de vagas a atribuir a cada uma das referidas escolas considerando um conjunto alargado de critérios.

Entre outros, são objeto de análise a qualificação do corpo docente, o projeto educativo, as estratégias de inserção da escola no tecido social e cultural envolvente, resultados escolares, os objetivos pedagógicos, a evolução da oferta formativa e educativa, o plano anual de atividades, os equipamentos disponibilizados aos alunos para uso individual ou coletivo ou a promoção e participação em atividades de índole cultural na região. Após análise das candidaturas, é atribuída uma pontuação, a cada escola do ensino artístico especializado, numa escala de 0 a 100.

No último concurso, cujos resultados foram recentemente revelados, a Academia de Música de Elvas obteve 98 pontos, a mais elevada da região sul e a segunda melhor a nível nacional. Aquando do primeiro destes concursos, a pontuação então obtida fora de 68 pontos. Já no penúltimo, a pontuação subiu para 90,5. E surge agora este recorde de 98 pontos, em 100 possíveis.

Graças ao resultado em causa, o conservatório elvense terá um novo número recorde de alunos, quer no curso básico, quer no curso secundário, garantindo um acréscimo de 50 alunos novos, já no próximo ano letivo.

Esta alegria surge depois de uma outra, na sequência das palavras que o Presidente da República, a 30 de junho passado, dedicou à Academia de Música de Elvas, referindo-se a esta escola como “um centro cultural e de formação prestigiado e prestigiante”.