Dia dos Avós e pandemia no Lar de Santa Eulália

Ontem, 26 de julho, foi Dia dos Avós. Esta segunda-feira, fomos assinalar a efeméride com os idosos do Lar de Santa Eulália, que, aos nossos microfones, quiseram deixar uma mensagem aos seus netos – e muitos aos bisnetos – a quem, por esta altura, e devido à pandemia, não podem dar um abraço ou um beijo como tanto gostam.

Numa emissão em direto e através de uma janela, com todas as medidas de segurança exigidas, foram vários os utentes do lar que ao seus familiares disseram o quanto gostam deles e saudades que sentem. Foi o caso do senhor António Sande, que recorda com saudade os primeiros anos de vida da neta Beatriz, que agora, “está longe”. O mesmo senhor fez questão de apresentar as quadras que escreveu para as funcionárias do lar, que diz serem “as melhores do mundo”, assim como para a Rádio ELVAS, que segue no FM, assiduamente, todos os dias.

Já Sofia, outra das utentes do lar, lamenta não poder ver a sua família, por estar longe, ainda que se sinta em casa no lar de Santa Eulália. “Eles são agora a minha família”, garante. Também Luísa Caixeirinho garante que gosta muito de estar no lar, tendo aproveitado os nossos microfones para deixar uma mensagem aos netos e aos filhos.

Ao longo dos últimos tempos, e perante a situação pandémica que o país e o mundo atravessa, explica Maria Ana Godinho,a  diretora do lar, têm procurado “manter a rotina diária” dos idosos, tendo em conta os impactos psicológicos inerentes à Covid-19, depois de muito se questionarem por que motivo não podiam receber os seus familiares na instituição.

Já a animadora sociocultural do lar, Inês Carvalho, lembra que estes “não têm sido tempos fáceis”, explicando de que forma os utentes do lar matavam as saudades da família, ainda antes de se poderem ver através de uma janela: “fazíamos videochamadas, mas muitos deles até ficam na dúvida se são os filhos e os netos que estão a ver no ecrã de um telemóvel ou computador”.

Aos microfones da Rádio ELVAS, para além de António, Sofia e Luísa, foram muitos os idosos do lar de Santa Eulália que, na manhã de hoje, quiseram deixar as suas mensagens aos seus familiares, lembrando as saudades que sentem de os abraçar.

Desde o passado dia 18 de maio, as visitas aos lares foram retomadas, ainda que apenas através de um vidro ou janela, não podendo haver qualquer contacto físico. As mesmas têm de ser marcadas com antecedência.