Museu do Azulejo de Berardo com financiamento comunitário de 2,5ME

O Museu do Azulejo, em Estremoz, de Joe Berardo, foi apresentado esta quarta-feira, 22 de julho, à comunicação social, estando a sua inauguração marcada para o próximo sábado, dia 25.

A obra contou com um financiamento comunitário de dois milhões e meio de euros, com origem no Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

Com uma dívida superior a 950 milhões de euros à Caixa Geral de Depósitos, ao Novo Banco e ao BCP, Joe Berardo, enquanto falava aos jornalistas, e como adianta a TSF, “afirmou que um terço da sua pensão estava a ser emprestada à Caixa Geral de Depósitos”.

De recordar que o banco público tem feito de tudo para recuperar o dinheiro em falta, estando em cima da mesa a possibilidade da aquisição da coleção do empresário madeirense, avaliada em mais de mil milhões de euros.

O Museu, instalado no renovado Palácio dos Henriques, no centro de Estremoz, conta com a maior coleção privada de azulejos de Portugal. Abre ao público já este sábado, dia 25, contado com entrada gratuita, temporariamente.