Duas curtas-metragens lusas no Festival Ibérico de Badajoz

Duas curtas-metragens portuguesas, de Margarida Lucas e Regina Pessoa, vão competir na secção oficial do 26º Festival Ibérico de Cinema de Badajoz, que decorre entre os dias 22 e 25. Segundo um comunicado dos promotores, o concurso recebeu 480 curtas-metragens de Espanha e Portugal, das quais foram seleccionadas 24 para a secção oficial, entre elas as duas portuguesas.

No Festival Ibérico de Cinema, que terá lugar nos jardins do Museu Estremenho e Ibero-Americano de Arte Contemporânea (MEIAC) de Badajoz, vão competir as curtas-metragens portuguesas “Sagrada Família”, de Margarida Lucas, e “Tio Tomás, a contabilidade dos dias” (na imagem), de Regina Pessoa. “Estas duas curtas-metragens foram seleccionadas entre os 23 trabalhos que realizadores portugueses apresentaram ao certame, que recebeu um total de 480 propostas procedentes de Espanha e de Portugal”, indicaram os organizadores.

Para a secção oficial, foram seleccionadas 24 curtas-metragens, incluindo as de Margarida Lucas e Regina Pessoa que serão projectadas nos dias 22, 23 e 24. No dia seguinte, terá lugar a entrega de prémios no Palácio de Congressos de Badajoz, no decorrer do concerto “Música Clássica no Cinema”, pela Orquestra da Extremadura (OEX).

A pandemia da Covid-19 obrigou a celebrar o Festival Ibérico de Cinema numa sede diferente à habitual, nos jardins do MEIAC, onde serão cumpridos todos os protocolos sanitários exigidos pelas autoridades, garantem os promotores.

A organização assegurou que tem estado a trabalhar para poder manter esta edição, de forma a “apoiar o trabalho e esforço realizado por produtoras e equipas de realização de curtas-metragens nestes momentos difíceis em que se cancelaram ou adiaram numerosos festivais”, tendo em conta ainda que o certame é um dos festivais pré-seleccionados para os Prémios Goya, da Academia do Cinema espanhol.