Roberto Cabral: “os músicos precisam de tocar e as pessoas de animação”

Foto: Facebook

Os Soversion foram os responsáveis por dar música àqueles que se quiseram juntar à festa do programa “Cultura Sai à Rua”, promovido pela Câmara de Elvas, ontem à noite, no ciclorama do Jardim Municipal de Elvas, ainda que com todas as medidas de segurança que são exigidas por esta altura.

Ainda antes da atuação, estivemos à conversa com Roberto Cabral (na foto), elemento da banda elvense, que garante que estas iniciativas são “de louvar”, adiantando que “os músicos precisam de voltar a tocar” e as pessoas de “animação nas suas vidas”.

“Nós estamos muito contentes com esta aposta e só queremos ressalvar que é uma iniciativa da Câmara, pela qual estamos muito satisfeitos”, adianta o artista. “É muito felizes que regressamos aos palcos”, diz ainda, lembrando que o último concerto dos Soversion aconteceu há cerca de cinco meses.

Para este concerto, os elementos da banda reuniram para ensaiar, o que já “estava a fazer falta”. Roberto Cabral revelou-nos ainda o tipo de reportório que prepararam para o espetáculo de ontem: “decidimos apresentar um reportório mais animado que aquilo que costuma ser, para as pessoas se sentirem bem, com o Rock dos anos 60 até aos tempos mais atuais”.

A iniciativa “Cultura Sai à Rua” prossegue no próximo sábado, 25 de julho, com uma arruada, pelo centro histórico de Elvas, com a Isekais e o grupos das Roncas de Elvas. No ciclorama do Jardim Municipal, a partir das 21.30 horas, decorre uma noite de fados, com Carla Isabel, Nélson Cardoso e Marlene Mocisso.