Matrículas automáticas geram ansiedade no seio do Agrupamento 3 de Elvas

As matrículas para o ano letivo 2020/21 têm gerado alguma polémica, a nível nacional, uma vez que para além das várias queixas dos encarregados de educação, por não conseguirem aceder ao Portal das Matrículas, o Ministério da Educação fez já saber que o mesmo sofreu de um ataque informático.

A renovação da matrícula escolar vai ser feita de forma automática, com exeção dos anos de início de ciclo (5.º, 7.º e 10.º anos). De fora da renovação automática ficam também os casos em que o aluno muda de escola.

Fátima Pinto, diretora do Agrupamento de Escolas nº3 de Elvas, lembra, contudo, que a “renovação de matrícula não será assim tão fácil” de ser feita, em casos como alunos que transitam do 10º ao 11º ano, por exemplo, tendo em conta que têm disciplinas de opção ou podem ter alguma disciplina em atraso.

“A plataforma esteve hoje sempre em baixo, e nem conseguimos ver os alunos que estão já matriculados. As indicações que temos é que se faça a renovação automática, mas essa renovação, sobretudo ao nível do secundário, não é assim tão fácil”, explica.

A diretora do agrupamento revela ainda que, à partida, será criado um questionário online, para que os encarregados de educação possam indicar quais as disciplinas que os alunos pretendem frequentar, no próximo ano letivo, ao nível das disciplinas de opção.

Fátima Pinto explica ainda que se vivem momentos de alguma incerteza e ansiedade, uma vez que as matrículas, por esta altura, deveriam estar praticamente concluídas, devido à necessidade de se fazer a requisição de professores para o próximo ano letivo.