Município de Marvão condiciona Espelho de Água do Rio Sever

A Câmara Municipal de Marvão pretende limitar o acesso à envolvente do Espelho de Água, a um determinado número de pessoas, em função do espaço existente nas margens do Rio Sever, que possibilite o cumprimento das regras de distanciamento social.

Considerando que a zona em causa constitui bem do domínio público hídrico, sob jurisdição da Agência Portuguesa do Ambiente, o Município entende que só poderá restringir o acesso à zona do Espelho de Água, mediante autorização expressa deste organismo, tendo já sido, para o efeito, solicitado o respetivo parecer.

Face ao exposto e ainda em virtude do atual quadro epidemiológico associado à Covid-19, o Município de Marvão informa que “não vai impedir o acesso, permanência e circulação na envolvente do Espelho de Água, mas não vai fechar as comportas da Piscina Fluvial, de forma a dissuadir a utilização do Espelho de Água como zona de banhos”.

O Município de Marvão entende também que, nesta altura, “não estão reunidas todas as condições que permitam a utilização deste aprazível espaço natural em cumprimento com as normas sanitárias em vigor”. Esta decisão, “bastante ponderada pelo Município, pode ser alterada, caso o parecer da Agência Portuguesa do Ambiente, para limitação do acesso ao espaço seja favorável, e se a evolução da situação epidemiológica, em Portugal e no Alentejo, for positiva”.