Évora requalifica Câmara e acesso à estação ferroviária

A Câmara Municipal de Évora aprovou a requalificação dos Paços do Concelho e a ligação entre a estação ferroviária e o Centro Histórico da Cidade-Museu.

Do conjunto de assuntos tratados nesta reunião pública, de 1 de julho, o destaque vai para “duas obras de significativo valor para Évora” que foram aprovadas: a primeira visa a recuperação do edifício dos Paços do Concelho e a segunda a melhoria da ligação entre a estação ferroviária e o centro da cidade. Ambas as intervenções estão previstas no Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano.

A obra de requalificação do edifício dos Paços do Concelho, aprovada por unanimidade, consiste na recuperação das coberturas do referido edifício, trabalhos cujo custo se estima em 1,2 milhões de euros (+IVA). Será também realizada a beneficiação da fachada do edifício (reparação e pintura de paredes exteriores, caixilhos, guardas e serralharias), que tem um valor previsto de 170 mil euros (+IVA).

A ratificação do anteprojeto de execução da Requalificação do Interface Modal no Rossio de São Brás (parque de acolhimento a turistas e visitantes) foi aprovada com as abstenções dos vereadores do PS e do PSD. Esta intervenção corresponde a uma necessidade há muito identificada de “promoção de estratégicas de baixo teor de carbono em zonas urbanas, incluindo a promoção da mobilidade urbana multimodal sustentável”, segundo o município eborense.

Os propósitos desta intervenção, incluídos no Plano de Mobilidade Urbana Sustentável, visam “a criação de um parque de acolhimento para recepção e encaminhamento de turistas, visitantes e moradores e requalificar os acessos entre a estação ferroviária e o centro histórico da cidade (faixas pedonais-clicáveis) contribuindo para o uso de modos de transporte limpos e eficientes”. Procuram ainda “diminuir a entrada de viaturas no interior do Centro Histórico de Évora e redesenhar os espaços periféricos do Rossio, por forma a disciplinar o estacionamento, devolver os passeios aos peões e dar continuidade ao percurso pedonal envolvente à muralha”. O valor total da intervenção é de 940 mil euros (+IVA).