PSP de Portalegre detém 11 indivíduos por tráfico de droga

Seis homens e cinco mulheres, com idades compreendidas entre os 20 e os 55 anos, foram detidos, no decorrer uma grande operação policial, do Comando Distrital da PSP de Portalegre, pela prática do crime de tráfico de estupefacientes e posse de armas proibidas.

Esta operação, que teve início no final do ano passado, pela Esquadra de Investigação Criminal, envolveu o cumprimento de 28 mandados de busca, 21 deles visando domicílios, tendo sido apreendidas 762 doses individuais de Ecstasy; 646 doses individuais de Haxixe; 415 gramas liamba; 1285 euros em numerário; uma arma de fogo (pistola transformada) e uma arma de alarme, ambas de Classe A; 42 munições de diversos calibres; uma soqueira; uma faca tipo borboleta; uma viatura (ligeiro de passageiros); três motociclos; diversos equipamentos eletrónicos; balanças, moinhos e outros objetos relacionados ou resultantes da atividade ilícita.

Os detidos serão presentes à Autoridade Judiciária durante na manhã de terça-feira. No decorrer da operação, foram ainda identificados e notificados para comparecer perante a Comissão de Dissuasão e Toxicodependência de Portalegre, oito indivíduos por possuírem pequenas quantidades de estupefacientes.

Para a execução desta operação, o Comando da PSP de Portalegre contou com o apoio da Unidade Especial de Polícia e dos Comandos Distritais de Évora, Santarém, Castelo Branco e Guarda, tendo sido empenhados um total de 65 polícias afetos às valências de Investigação Criminal e Ordem Pública, apoiados por quatro binómios cinotécnicos. Uma das diligências decorreu na vila de Nisa contando, por isso, com a colaboração da GNR.

“É nossa convicção que esta operação provocou um duro golpe no tráfico de estupefacientes em Portalegre, na medida que os visados, mantinham uma atividade localmente muito dinâmica, com a agravante de desenvolverem parte dela em locais públicos e nas proximidades de recintos escolares. Neste sentido, acreditamos que esta ação da PSP contribuirá para o aumento da tranquilidade de Portalegre”, pode ler-se num comunicado da PSP.