Portugal com mais seis mortos e 323 infetados

Portugal regista este sábado, dia 27, mais seis (+0,4%) vítimas mortais e 323 (+0,8%) infetados por Covid-19.

O problema continua centrado à volta da capital: os seis mortos foram registados em Lisboa e Vale do Tejo e esta região teve 255 infetados dos 323 a nível nacional, que corresponde a 79%.

No total e desde o início da pandemia, Portugal registou 1561 mortes associadas à Covid-19 e 41.189 casos de infeção, segundo o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS) esta sexta-feira, dia 26.

Em relação a ontem, registaram-se mais 231 recuperados, o que faz aumentar o número de recuperações para 26.864. De ontem para hoje, Portugal teve menos 15 pessoas hospitalizadas e mais três doentes em unidades de cuidados intensivos e mais 231 pessoas recuperadas.

Os atuais 1561 mortos, no nosso País, estão registados 816 no Norte, 248 no Centro, 463 em Lisboa e Vale do Tejo, quatro no Alentejo, 15 no Algarve e 15 nos Açores. A Madeira é a única região portuguesa sem casos mortais. Os 41.189 infetados foram detetados 17.445 no Norte, 4080 no Centro, 18.365 em Lisboa e Vale do Tejo, 467 no Alentejo, 595 no Algarve, 92 na Madeira e 149 nos Açores.

No território nacional, a Covid-19 tem 332.674 casos não confirmados; registam-se 31.255 situações em vigilância; contam-se 1627 pessoas a aguardar resultados; temos 442 doentes hospitalizados (menos 15 que ontem); há 70 pacientes em unidades de cuidados intensivos (mais três que ontem); temos 26.864 casos de pessoas recuperadas (mais 231 que ontem); e, desde 1 de janeiro deste ano, 375.490 é o total de casos registados.

Na última semana, em Portugal, as percentagens diárias de aumento do número de pessoas infetadas têm sido as seguintes: sábado 20 de junho 1,0%; domingo 21 de junho 0,8%; segunda-feira 22 de junho 0,7%; terça 23 de junho 0,9%; quarta-feira 24 de junho 0,9%; e quinta-feira 25 de junho 0,8%; sexta-feira 26 de junho 1,1%; e sábado 27 de junho 0,8%.

Pela sua saúde e pela saúde de todos, a Rádio ELVAS aconselha a lavar ou desinfetar as mãos muitas vezes, manter uma distância mínima de dois metros com outras pessoas e usar máscara sempre fora de casa, agora com mais pessoas nas ruas.