Visitas aos utentes do Lar Júlio Alcântara Botelho estão suspensas

Perante o aumento do número de casos de infeção por Covid-19 na região Alentejo e depois do foco de casos positivos no lar da Fundação Maria Inácia Perdigão Silva, em Reguengos de Monsaraz, alguns lares de Elvas e Campo Maior optaram por suspender as visitas a utentes das instituições.

É o caso do Lar Júlio Alcântara Botelho em Elvas que suspendeu as visitas, no início desta semana. Paulo Pires, funcionário do lar, afirma que “esta é uma situação que está constantemente em avaliação e para não correrem riscos”. E uma vez que os utentes são de várias partes da região e do país, tomaram esta decisão, “continuando com as visitas à janela, onde não existe qualquer contacto”.

Os familiares foram contactados e informados da suspensão das visitas e foi algo que teve uma boa aceitação por parte dos mesmos, para Paulo Pires “os familiares têm sido um grande pilar nesta situação”. O funcionário do lar diz que “mais importante que as visitas é salvaguardar a saúde de todos, e também pensámos nas funcionárias, que também têm família”.

As visitas no Lar Júlio Alcântara Botelho estarão suspensas durante tempo indeterminado, uma vez que enquanto a pandemia durar será feita semanalmente uma avaliação com a equipa multidisciplinar da instituição, e serão tomadas as medidas necessárias.